1ª Mostra de Cinema de Ouro Preto

 PATRIMÔNIO CULTURAL DA HUMANIDADE TORNA-SE CENÁRIO DE EXIBIÇÃO DO CINEMA BRASILEIRO

 Minas Gerais se destaca no cenário nacional pelo seu imenso patrimônio histórico, artístico e cultural favorecendo a realização de eventos que elevam o Estado à condição de pólo incentivador da indústria cinematográfica, do turismo e da cultura.

 Direcionamos a atenção para a cidade de Ouro Preto – patrimônio cultural da humanidade. Ouro Preto é pura história. O município agrega o mais importante conjunto arquitetônico barroco do país. Completou 300 anos reafirmando sua vocação natural para o turismo. Sempre marcou seu espaço na história, na política nacional e no panorama artístico-cultural.

 Os modernistas, na década de 20, tiveram a cidade como referência para a retomada dos valores culturais, pátrios e para criação de uma forma de expressão artística genuinamente brasileira.

 Considerando a importância, o contexto histórico e cultural de Ouro Preto, a credibilidade e experiência adquirida com a realização de quase uma década da Mostra de Cinema de Tiradentes, a Universo Produção lança mais um novo empreendimento cultural em Minas e para o Brasil – nasce a Cineop – 1ª Mostra de Cinema de Ouro Preto.

 A produção audiovisual brasileira ganhou um novo mirante nas Minas Gerais. De 14 a 18 de junho de 2006, a cidade de Ouro Preto se ofereceu como espaço privilegiado de reflexão sobre o cinema nacional – visto em perspectiva, seja em seus marcos históricos, seja na pulsação dos jovens realizadores.

 Uma nova frente de fomento e reflexão apresentou ao público o cinema brasileiro alinhado com a idéia de preservação, restauração e memória e, ao mesmo tempo, fez um contraponto com o cinema atual – apresentando as tendências, multiplicidades, diversidades de obras que serão descobertas, desvendadas e compreendidas – uma imersão capaz de construir sentidos, marcar posições e estabelecer posturas.

 A CINEOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto é, desde o nascedouro, uma espécie de declaração de princípios em favor do fortalecimento do cinema nacional.

 Concebida e realizada pela Universo Produção com patrocínio da Petrobras, Eletrobrás, Cemig/Secretaria de Estado da Cultura de MG, Furnas, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e apoio decisivo do Ministério do Turismo, do Ministério da Cultura/Fundo Nacional da Cultura e da Prefeitura Municipal de Ouro Preto, a CINEOP pretende firmar-se como plataforma de lançamento da nova safra de filmes brasileiros, além de contribuir para o debate em torno de questões cruciais que impactam o setor audiovisual no país.

 Esta primeira edição centrou o foco em um tema candente no contexto atual, potencializado pelas facilidades da tecnologia digital: Preservação, Restauração e Memória do patrimônio cinematográfico brasileiro.

 Exibição de filmes, debates e homenagens ocuparam três diferentes espaços ouro-pretanos, com destaque para o precioso Cine Vila Rica, fundado em 1957 e ainda hoje uma referência entre as salas de exibição que resistiram ao tempo no interior de Minas Gerais.

 O legado cinematográfico assumiu o primeiro plano no Seminário Cinema Brasileiro: Fatos e Memória, estruturado em três mesas, entre 15 e 17 de junho. Pesquisadores e profissionais apresentaram metodologias, tecnologias, ações e projetos de preservação e restauração para o filme brasileiro.

 As implicações técnicas dos processos de recuperação de películas, as políticas públicas praticadas na área e o recente despertar em favor do manejo de acervos e da filmografia de nomes fundamentais no contexto nacional deram a tônica na série de discussões, que trouxeram a Ouro Preto alguns dos mais relevantes protagonistas na questão.

 Para simbolizar a importância do reconhecimento e da sobrevivência da obra dos grandes mestres para a memória e a identidade nacionais, esta primeira edição prestou tributo ao cineasta Joaquim Pedro de Andrade, morto em 1988, cuja filmografia passa atualmente por um grande esforço de restauração.

HOMENAGENS
Joaquim Pedro de Andrade
Salvador Trópia
Adão Soares Gomes