11ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto

CINEOP – MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO
O evento que trata cinema como patrimônio
O evento da preservação, memória, história e educação.

A CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto chega a sua 11ª edição, de 22 a 27 de junho de 2016, maior e mais convicta do seu papel - ser instrumento de reflexão e luta pela salvaguarda do patrimônio audiovisual brasileiro em diálogo com a educação. O patrimônio cultural das imagens é um dos eixos mais importantes da memória e identidade sociocultural de um País – ação estratégica e fundamental para o desenvolvimento da nação, portanto, deve integrar a vida social e política do Brasil, que reúne expressivo patrimônio audiovisual, representativo de sua cultura, história, arte e manifestações da sociedade.

 Estrutura sua programação em três temáticas de atuação: preservação, história e educação. Apresenta-se como importante foco irradiador da cultura com a oferta de uma programação abrangente e gratuita que inclui além da exibição de 91 filmes em pré-estreias, retrospectivas e mostras temáticas, homenagens a personalidades do audiovisual, oficinas, workshops internacionais, debates, seminário, exposições, lançamento de livros, shows e atrações artísticas que ocupam três espaços Ouro Preto: Cine Vila Rica (plateia de 700 lugares), Centro de Convenções (sede do evento, cine-teatro, auditórios, galpão cine bar show, ações de formação e reflexão) e Praça Tiradentes que é a praça principal da cidade recebe a instalação do Cine BNDES na Praça( 1000 lugares).

 O eixo temático da 11ª CineOP  será Cinema, TV e Educação.  Na Temática Preservação, o enfoque será “Arquivos de Televisão” e a entrega do Plano Nacional de Preservação, na temática histórica “O Cinema e o processo de abertura política” (período 1976-1988) e na Educação, “O Cinema, a TV, Educação: a escola como unidade comunitária”.

 A 11ª CineOP celebra a trajetória de dois nomes de destaque na cena audiovisual brasileira: Eduardo Coutinho (1933-2014), um dos diretores mais importantes e referenciais da história do cinema brasileiro; e Francisco Sérgio Moreira (1952-2016), o Chico, considerado pioneiro no trabalho de restauração, trabalhou por anos na Cinemateca do MAM,  na Labocine e atuou também como montador.

 A preservação do cinema e do audiovisual, a iminência de perda de obras do cinema brasileiro, a evolução das técnicas de restauração, o impacto da era digital, o intercâmbio, as estratégias de ação, o conhecimento e troca de experiências dão a tônica às discussões da CineOP, que promove e sedia, em suas edições anuais o Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros vai reunir mais de 100 profissionais de vários Estados do País.. E há oito edições sedia e promove o Encontro da Educação: Fórum da Rede Kino (Rede Latina Americana de Cinema e Educação) em que a pauta desta edição é Cinema, TV e Educação. Nesta edição, o evento juntamente com a ABPA – Associação Brasileira de Preservação Audiovisual tem como meta a entrega do Plano Nacional de Preservação Audiovisual - ação estratégica no desenvolvimento de uma nação.

 Destacamos também três iniciativas que estabelecem diálogo direto com a cidade, beneficiando comunidades e escolas e acadêmicos – a realização do CineOP nos Bairros, que pelo terceiro ano consecutivo oferece uma programação itinerante nos bairros e distritos de Ouro Preto com exibição de cinema em praças públicas – o programa Cine-Expressão – A Escola vai ao Cinema que oferece sessões Cine-Escola, debates, lançamento de livros para estudantes e educadores da rede pública de ensino de Ouro Preto e distritos beneficiando mais de 3000 alunos e parceria com a UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto, em que alunos e professores tem vaga garantida nas oficinas de capacitação, no Encontro de Arquivos e Encontro da Educação e, ainda, estudantes podem se candidatar a vaga de estágio para atuar na produção e atendimento ao evento.  

 A CineOP se constitui um fórum único e privilegiado  de discussões e reflexões do patrimônio cinematográfico brasileiro ocupando lugar de destaque no cenário nacional de festivais e mostras de cinema e referência em outros países pela sua proposta inédita e emergente - tratar o cinema como patrimônio em diálogo com a educação. Em 2011, recebeu o Prêmio de Preservação da Academia Brasileira de Cinema. Em 2015 celebrou uma década de existência e editou uma publicação colaborativa registrando os avanços e acontecimentos históricos do setor da preservação no período 2006-2015, e agora, em 2016 se prepara para o lançamento do Plano Nacional de Preservação e o anúncio dos avanços e estudos da atuação do Grupo de Trabalho Minc|Mec sobre a Lei 13.006 que prevê a exibição de cinema brasileiro nas escolas de Educação Básica do Brasil. Frutos de um processo de amadurecimento, de ações colaborativas a favor da formação, do debate, da pesquisa, do acesso, da difusão de conteúdos dos mais variados, porque na CineOP, tratamos cinema como patrimônio.

 Convidamos você para integrar e marcar presença na 11ª CineOP - um espaço de encontro e convergência de profissionais e instituições de vários segmentos que trabalham com a imagem em movimento, cinema e educação, visando à cooperação, troca de informações e experiências nos diferentes campos de atuação. Um espaço de vanguarda para conhecer, assistir, debater, falar de cinema. Um espaço para percorrer caminhos, renovar olhares e formas de pensamento.

 As imagens constituem valores, cultura, ethos de um povo, das civilizações, nações.

E as ações de preservação retratam o modo de vida de uma sociedade. 

 Raquel Hallak d’Angelo
Quintino Vargas Neto
Fernanda Hallak d’Angelo
Diretores da Universo Produção e Coordenadores da CineOP